diz que fui por aí: pinacotecas

alguns museus de são paulo se dividem fisicamente. uma vez fui numa galeria em baixo do viaduto do chá, acessada por uma escadaria no meio da praça do patriarca (onde hoje tem a casquinha do paulo mendes, na época não tinha). a placa dizia: masp. aquele mesmo, vermelhinho, da avenida paulista.

outro que se dividiu em dois foi a pinacoteca, onde estive essa semana. a principal fica naquele predio no parque da luz, consagrado em sua forma interminada, mas há poucos anos absorveu o edificio do antigo dops, nas proximidades.

o edificio, originalmente pertencente à ferrovia, abrigou o principal órgão de repressão da ditadura militar, o departamento de ordem politica e social (dops, criado pelo vargas, durou até o inicio dos anos 90, mas mudou de nome algumas vezes). em 2008 foi montado o memorial da resistencia, contando a história das ditaduras e das pessoas que por ali passaram.

o memorial foi montado com muito cuidado: videos e material multimidia muito bem feitos (sem exageros do tipo museu da lingua), um grande mural com linha do tempo, etc.  tudo isso muito bem casado com o espaço, que eram as proprias celas do prisioneiros. merecem destaque especialmente o corredor onde os prisioneiros iam tomar sol, e a ultima cela, com depoimentos de prisioneiros gravados em áudio.

mas o que considero mais importante é o conteúdo exposto, o fato de expor sem pudores o que foi de fato a repressão, a prisão e a tortura por motivos políticos (muitas vezes não comprovados). registrar e recordar esses fatos é um meio de evitar que voltem a acontecer.

só pra divertir um pouco (por que, apesar de ter gostado muitissimo, confesso que saí um pouco triste de lá), um vídeo. é uma instalação do artista alex flemming chamada “sistema uniplanetario”, no octágono da pinacoteca (a matriz).

Anúncios

Tags: , , , , , , , ,

2 Respostas to “diz que fui por aí: pinacotecas”

  1. Mila. Says:

    ó. excelente comentário =)
    só esqueceu de comentar do Turco >.<

    e realmente, a saída é triste. por mais que se estude a Ditatura, perseguições políticas e tal, andar naqueles corredores é um experiência no mínimo traumática, mesmo hoje sendo um museu.
    é curioso também o fato de mudarem o nome de Museu da Liberdade para Museu da Resistência. muito mais adequado. =)

  2. museu da língua « kikipedia Says:

    […] se alguém estiver a passeio pro lá, recomendo visitar as pinacotecas, principalmente o memorial da […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: