Archive for the ‘luthieria’ Category

bandolim – with a little help from my friends

junho 7, 2013

e depois de 5 anos, finalmente está (quase) concluído mais este projeto. trata-se de um bandolim-capacete, construído em finais da década de 1970, desativado em algum momento dos anos 1980, e reinventado entre 2007 e 2013. agradecimento ao kenzo, sem o qual este projeto não teria saído ainda nesta década.

algumas fotinhas do processo

estado inicial

projeto de transformá-lo num bandolim elétrico

reconstrução

401958_4719415634338_1399320531_n

182929_4719390273704_249663625_n

968794_4719414554311_1743803634_n

941462_4719415194327_1927917780_n

969778_4723218609410_2127365158_n

972009_4723217849391_2004354291_n

946941_4723216689362_1023930276_n

933885_4719392553761_141747836_n

575880_4723220209450_847779088_n

 

 

Anúncios

Sessão Gambiarra – Velcro para Cabos

junho 26, 2012

Eu gosto de fazer aquele papel de roadie, de montar e desmontar os equips da banda, e principalmente cuidar dos cabos e fiaradas em geral.

Quem faz isso sabe a meleca que vira quando não enrola os cabos direito, e depois pra pegar os cabos todos embolados e tal.
E quem toca sabe que enrolar o cabo muito apertado, dobrar, marcar, pisar, etc, estraga ele com o tempo. Quebra todo por dentro e some o som.

Enfim, comprando cabos numa lojinha lá da Teodoro, vi que alguns cabos já vem com um velcrinho muito bacana pra prender.

Eu ganhei de dois tipos, desse preto, que é velcro comum, e desse cinzinha, que é especial pra isso, parece.

Aí resolvi fazer isso com todos os cabos. Esse branco da foto de cima é o que eu fiz.
Eu tinha já um pedaço de velcro que uma amiga que costura me deu (ia usar pra outras gambiarras). Cortei e prendi no cabo, grampeando pra não soltar:

Fiz hoje, então nao sei se vai durar. Mas já ajudou bem a organizar os cabos.

Enfim, espero que possa ser útil pra alguém.

ps.: a sessão gambiarra começou com o tutorial de capo-lápis!

Fender Stratocaster e Gibson Les Paul – o projeto da guitarra e a produção industrial

maio 30, 2009

Vou discutir aqui alguns aspectos do projeto das duas principais guitarras elétricas[bb] solid-body (corpo maciço) produzidas industrialmente, a Fender Stratocaster e a Gibson Les Paul. Projeto no sentido usado em arquitetura e design, como a concepção da forma. Esta comparação entre as duas será apenas do ponto de vista da produção industrial, de modo que as conclusões aqui tiradas não têm nenhuma relação com a sua qualidade sonora.

(more…)

oela

maio 25, 2009

oficina escola de luthieria da amazônia

oela1

trata-se de uma organização não governamental que já tem mais de dez anos, e ensina crianças da periferia de Manaus a construir instrumentos acústicos de corda (violão, cavaquinho, etc). pra saber mais detalhes sobre o projeto, visitem o site oficial da oela.

oela2

nas ultimas férias estivemos em Manaus, e decidi visitar essa escola. Com ajuda de um amigo que mora lá e que já conhecia o local, que fica num bairro afastado do centro. Foi um bom motivo pra sair do circuito turistico da cidade e conhecer um pouco mais dos arredores da cidade também.

oela3

apesar de termos passado um pouco rápido por lá (fomos sem agendar visita, acabamos interrompendo o almoço do pessoal, que mancada!), deu pra conferir um pouco do trabalho que eles fazem. mais do que isso, deu pra sentir a seriedade do trabalho.

oela4

o projeto ensina aos jovens não apenas um oficio, o artesanato com a madeira, a construção de instrumentos, o uso das madeiras amazonicas; mas tambem ensina informatica, exige a assiduidade escolar, e da perspectivas de futuro. quando participam de algum evento ou solenidade, quem representa o projeto são alunos que já concluíram o curso, mostrando o resultado na própria pessoa formada.

oela5

bandolim eléstrico

julho 10, 2008

pois é, a vida da correria não me deixa mais permanecer aqui na minha kikipedia… este mês ainda não postei nada…

mas não pretendo abandoná-la, então vou postar um outro projeto meu, ainda em andamento. trata-se de um bandolim elétrico.

esses desenhos foram o começo da idéia de eletrificar ele. ainda ta em desenvolvimento.
o bandolim já existe, tá desmontado. o casco dele é um capacete de obras.
o captador magnético e o circuito eu vou reaproveitar de outros trabalhos que eu fiz.

quem quiser saber um pouco da historia dele, da pra conferir em www.kiyoto.xpg.com.br/bandolim/
mas não tive tempo de atualizar esta parte elétrica dele ainda.

espremedor de laranja

março 25, 2008

dando continuidade à serie dos pedais handmade, venho lhes apresentar o orange squeezer.

este pedal é um compressor, ele comprime os picos, evitando alterações de volume muito bruscas. em termos musicais, ele achata a dinâmica da música. e se comprimir muito, ele acaba alterando o timbre.
no caso do meu, ele distorce um pouco tambem, o que eu acho que não é normal…

este foi o meu ultimo pedal, ainda teve um no meio entre esse e o minifuzz, que eu vou postar outra hora.

o que eu gostei desse é que foi a primeira vez que eu preparei um acabamento especial pro pedal. os anteriores foram caixas prontas, como uma caixa de cartucho de videogame, ou um estojo.

pra esse acabamento eu tive pela primeira vez colaborações de amigos (em geral é um trabalho meio solitario, eu e a minha solda), aos quais sou grato.

minifuzz – pedal handmade

março 10, 2008

dando continuidade à série “abrindo a caixa preta”, entram os pedais handmade.

começando do começo, pra quem não sabe nada: pedal [bb]é um equipamento de efeito pra guitarras[bb]. ele nada mais é que um circuito eletronico que mexe com o sinal de audio (eletrico) do instrumento. em mesas de som[bb] os efeitos são dentro de um rack, e é acionado manualmente. mas no caso da guitarra as mãos costumam estar ocupadas, então os efeitos são acionados com os pés.

os pedais já são uma parte tão importante das guitarras que chegam a ser um fetiche. as pessoas buscam determinados modelos, timbres, efeitos inusitados. e por serem equipamentos passiveis de encadeamento (os pedais costumam ser ligados em serie, para acumulo de efeitos), são extremamente colecionaveis. o que pode resultar em G.A.S. (gear syndrome acquisition), uma especie de vício.

handmade é a expressão usada pra pedais e demais componentes eletronicos confeccionados à mão, em oposição aos confeccionados em série, de fábrica.

os motivos de sua existencia são varios. um deles é o preço. é possivel confeccionar um pedal teoricamente identico a um de fabrica por menos de 1/4 do preço (variando conforme o modelo). outro motivo é a possibilidade de alteraçoes. quem entende de eletronica é capaz de personalizar o efeito. e possivelmente o terceiro motivo seja a abertura da caixa preta de que eu falava.

o primeiro pedal handmade que eu confeccionei foi o minifuzz do bertola. fuzz é o nome da primeira distorção inventada, muito usada pelo jimmy hendrix. mauricio luiz bertola é um luthier de niteroi, que inventou, a partir dos projetos de varios fuzz’es, um minifuzz extremamente simples de confeccionar. e divulgou gratuitamente pela internet, com a condição de ser usado somente para fins próprios. este pedal tem sido porta de entrada para muitos curiosos no mundo handmade, facilitando a abertura da caixa preta.

mais informações em:
http://www.handmades.com.br
http://www.kiyoto.xpg.com.br/musica/minifuzz/minifuzz.html

abrindo a caixa preta

março 4, 2008

Caixa preta é um nome dado a alguma coisa que sabemos usar, mas da qual não temos conhecimento, e sobre a qual não temos nenhum controle.

Acredito que a origem da metafora da caixa venha das máquinas. Imagine uma máquina dessas que faz coisas mágicas. Você coloca leite de um lado, sai sorvete do outro. Você põe papel branco de um lado, sai desenhado do outro. Você põe água e pó, sai café quente!

E você não faz a menor idéia de como funciona. Isso é uma caixa preta.

Abrir a caixa preta significa tentar entender esse mecanismo. Que nem sempre é mecanico, pode ser eletronico, computacional, artesanal, conceitual…

Na minha visão, cada caixa preta aberta é uma especie de conquista, de mundo novo que se abre. Pode ser desde aprender a construir um html quanto a fazer um cachecol de tricô. É algo que voce passa a entender, a ver através.

Esta postagem abre caminho pra uma série de postagem que vou fazer relacionados à música, iniciados com a telekiki que ilustra este texto, uma das maiores caixas pretas que eu já abri. Depois da construção desta guitarra, vieram outros projetos menores, que serão contados posteriormente.

Tem uma foto dela pronta lá em baixo, na 2ª postagem do blog. Mais informações no site dela, nos links.

telekiki

fevereiro 25, 2008

telekiki

tá muito triste sem nenhuma imagem, nem foto no perfil eu tenho. então fica aqui uma imagem da minha telekiki. outro dia eu conto a história dela. agradecimentos ao fernão.