Archive for the ‘nada não’ Category

mení ala carte

janeiro 6, 2013

E andando por aí estive colecionando uns cardápios interessantes. Tinha mais, mas perdi alguns ao longo do tempo e das formatações dos computadores… Achei que uma hora renderia um tumblr temático, como tem uns muito bons por aí, aberto a colaborações, mas acho que não consigo administrar isso. Se alguém quiser, pode roubar minha ideia (se é que já não existe).

Foto0160

vaca tolada

Foto0175

temperodo – refocado

Foto0243

ceverja (adendo)

Foto0173

ceborlinha (os chineses são boas fontes)

CIMG7757

serv serv: custela – cuzidosDSC07033

peni arromanesca – alho e olho – colve flor amilanesa – pescada adorê – legumes gratinado – linguissa apimenta

bom apetiti!!!

Anúncios

Resistance Homemade

dezembro 28, 2012

Pra quem curte um joguinho:

– RESISTANCE –

resistance

versão homemade (eu ki fis)

só precisa imprimir uma folha (link abaixo) e ter um baralho.

5 a 10 pessoas

estilo Cidade Dorme, Máfia, Aldeia, etc.

pdf da folha para imprimir:
http://www.kiyoto.xpg.com.br/resistance.pdf

e olha que coisa

março 1, 2010

passei mais de um mes sem conseguir postar aqui.

e nesse meio tempo o blog fez mais um ano. nem teve post comemorativo. ainda da tempo? foi dia 25 de fevereiro. pelo menos desta vez lembrei do outro aniversário.

enfim, espero conseguir voltar em breve.

lavagem moral

janeiro 24, 2010

eu acho que todo mundo tinha que ser obrigado a lavar louça uma vez na vida pelo menos. (primeiro eu pensei em lavar banheiro, mas acho que seria pedir demais). aprende-se muito sobre diversos aspectos, como as caracteristicas dos diferentes tipos de material, ou como uma displicencia sua hoje pode se tornar um fardo amanha. lavar louça é o minimo da manutençao da vida fora do ambito da higiene pessoal.

existem aqueles que lavam a louça apenas com fins morais. é uma tarefa a ser cumprida, mas nao um fim a ser atingido de fato. passam rapidamente uma bucha com pouco sabao so na parte que ta mais sujo, da uma enxaguada por cima e taca no escorredor. nao lavou de fato. voce pega a louça, ela ainda esta suja, em alguns pontos. mas ela foi moralmente lavada, já pode ser reaceita no ciclo das “louças limpas”.

tenho a impressao que existem muitas outras coisas nessa vida que passam por processos de “lavagem moral”.

será uma resposta?

janeiro 5, 2010

hoje choveu. tem chovido bastante, esporadicamente. mas hoje choveu forte, e com muitos trovões, como há muito tempo eu não via. trovões fortes, barulhentos, e frequentes. desses que faz a gente desligar os eletronicos e fugir pro mundo analógico e acústico. desses que faz a gente duvidar da solidez de nossas construções e temer as forças naturais.

ontem fiquei sabendo de uns desabamentos no rio de janeiro. sim, estou sempre defasado das noticias, mas me falaram isso ontem. lembrei que há meio ano atrás estava inundando tudo em manaus. e que há mais ou menos um ano atrás as chuvas fizeram um estrago em santa catarina.

será que a natureza está querendo dizer alguma coisa pra gente?

acerca da morte

janeiro 3, 2010

pois é, tema dificil de se abordar. o mais comum é contornar, evitar.  mas é a única certeza que podemos ter em toda nossa vida.

enfim, rolou uma conversa sobre isso no natal, de maneira até leve. falávamos de pessoas que já se foram, que em sua maioria haviam sido cremados. aproveito então pra deixar explícito aqui algumas resoluções minhas:

– cremem meu corpo. se possivel, joguem as cinzas em alguma obra do metrô (ok, se não der não vou ficar triste). ficar enterrandoem cemitérios e ocupando lugar não é uma ideia muito boa. a tendencia é, se levado ao infinito, acabar o solo do mundo.

– antes disso, doem tudo que for possivel. figado, coração, orelha, cotovelo. não vou precisar mais.

– façam bom uso das coisas materiais que eu deixar. mantenham a telekiki afinada.

nada melhor pra começar o ano do que falar do fim.

natau nonovo

dezembro 24, 2009

não é muito do meu feitio, mas as vezes é necessário. vou fazer um post de blablabla pessoal.

andei correndo nas ultimas semanas, e acabei nao postando nada em dezembro. uma parte foi por causa de trabalho (que, se foi bastante, bom que pelo menos houve), mas uma parte por causa de diversão tambem, então acho que se justifica. aproveito o dia (a noite) pra fazer dois posts.

o fato é que o ano está se acabando, um ciclo se fecha, então acho que é uma boa hora pra fazer um balanço. também foi uma boa desculpa pra encontrar bastante gente (mas ainda ficaram algumas faltando).

atraves do blog tenho tentado botar no mundo coisas que eu faço e que em geral ficavam engavetadas em casa, se perdiam, estragavam e tal. acho que até o momento o resultado foi bem positivo. pessoas viram coisas, comentaram, elogiaram, criticaram; se apropriaram, deram continuidade e vieram me mostrar depois (possivelmente alguns não mostraram, mas gostaria de saber). conversas boas sairam daqui, parcerias, etc.

além disso fiz algumas inscursões para o universo verbal, que não estou muito acostumado. até saíram algumas coisas que prestam, achei legal. mas a maioria ainda infame. aos pouquinhos vamos ampliando nosso universo.

pra finalizar, um videozinho de um dos eventos que andou tomando bastante tempo deste fim de ano.

si foi-se

novembro 27, 2009

o meu bichinho se foi. gostava dele, tinha muita história. tentei fazer ele durar, pra aproveitar ao máximo, num tipo de “sustentabilidade”, pra ser “ecologicamente correto”, contrariando o consumismo em voga. mas tudo acaba um dia. espero que ele esteja bem, onde estiver.

erar e umano

novembro 14, 2009

errar é inevitável. o segredo é conseguir torna-los tão pequenos a ponto de não comprometer a totalidade.

sentido

setembro 28, 2009

maos

do alto do meu quarto de século, começo a vislumbar a que viemos.
ou pelo menos como eu funciono.

preciso de mestres que ensinem, que guiem, que mostrem possibilidades, como fazer, que indiquem quais caminhos ja foram trilhados e quais estao por trilhar

preciso de companheiros pra dialogar, pra desenvolver, pra estimular, pra ter compromisso, fazer junto

preciso ensinar, ajudar, colaborar, passar pra frente alguma coisa do que aprendi-fiz-pensei, pra fazer com que um pouquinho do que sou entre no grande ciclo das coisas, e contribua para algo maior do que um individuo

e o melhor é quando estes tres se misturam

porque a vida se faz no coletivo. por que sozinho nao sou nada.