Posts Tagged ‘copan’

e olha que coisa

março 1, 2010

passei mais de um mes sem conseguir postar aqui.

e nesse meio tempo o blog fez mais um ano. nem teve post comemorativo. ainda da tempo? foi dia 25 de fevereiro. pelo menos desta vez lembrei do outro aniversário.

enfim, espero conseguir voltar em breve.

Anúncios

centro novo

março 31, 2009

é mais ou menos um ‘diz que fui por ai’, projeto que em sua essencia deixou de existir. ainda faço minhas caminhadas pela cidade, mas o carater mudou. agora são mais livres, sem metas, e em horarios mais variados, e menos fotograficas. o que é ruim, mas eu acabo esquecendo a maquina.

de qualquer forma, algumas imagens de um passeio domingueiro no centro de são paulo. visitamos um apto do mundialmente famoso copan, do tambem mundialmente famoso e centenário arquiteto orcar niemeyer. uma vista de dentro e uma de fora da escadinha helicoidal, na fachada traseira, sem os brises horizontais.

essa segunda foto foi tirada de outro predio. no centro, em meio aos arranha-ceus, ter acesso a algum edificio é um privilegio do ponto de vista fotografico (literalmente do ponto de vista).

assim sendo, aproveito pra registrar um pouco das peculiaridades arquitetonicas do centro novo sampaulistano (além anhangabau).  muitos deles art-déco, pelo periodo que a cidade se expandiu pra esses lados.

a trinca de predios do jacques pilon e do franz heep: biblioteca mario de andrade (pilon); estado de são paulo, atual hotel jaragua (pilon e heep); e edifício itália (heep). transição do déco pro moderno.

pra finalizar, um pouco de arte urbana.  foi nossa primeira tentativa de realizar a arte do joshua allen harris.  apesar de bem timida, foi bem sucedida. alguns problemas nas juntas, falta de habilidade no durex.

mas dificil mesmo foi achar um respiro, pois os do metro não sopram mais. esse era de estacionamento, o guardinha ficou nos olhando.

diz que fui por aí: especial virada cultural¹

abril 28, 2008

de 26 para 27 de maio foi a virada cultural em são paulo, grande evento pela cidade. inúmeros eventos, entre shows, filmes, exposições, apresentações e performances de diversos generos. é tanta coisa que a gente não sabe nem por onde começar.

e não soubemos mesmo. no fim fizemos quase nada. começamos vendo o grupo madeira de vento no teatro são pedro, um quinteto de clarinetes que toca chorinho e músicas populares. recomendo.

depois fomos ao centro, com algumas atrações em mente. mas no fim queríamos mesmo era ver o movimento.

todos os edifícios emblemáticos tinham alguma iluminação especial, dando um caráter comemorativo.

mas mais impresisonante mesmo é a movimentação das pessoas. e é realmente impresisonante, ver a cidade lotada de madrugada.

foram montados varios palcos em lugares estrategicos, como o vale do anhangabau, praça da republica, viaduto do chá. me agradou este da foto, na ladeira da memória.

passamos pela praça roosevelt, onde há varios teatros, além da livraria hqmix, onde rolava um jam session de quadrinhos.

tentamos ver o show dos mutantes, que estava muito lotado. deu pra ver bem as acrobatas penduradas por um guindaste, muito legal.

a conclusão foi que saímos pra ver um pouco de tudo, e vimos quase nada das atrações. mas vale pelo evento, que vem crescendo nos ultimos tempos.

além da possibilidade de pegar o metrô de madrugada.

_____________________
¹ ou “de noite eu rondo a cidade”, de paulo vanzolini, que se apresentou no municipal depois de anos longe dos palcos. inclusive passamos pela avenida são joão, no famigerado cruzamento da discórdia entre p. vanzolini e c. veloso, mas não houve nenhuma cena de sangue, até onde eu sei…